Acessibilidade na cidade de Buenos Aires – I

No mês passado tivemos a oportunidade de conhecer a capital da Argentina e, como não poderia ser diferente, ficamos de olho na acessibilidade para fazermos uma breve comparação ao que temos no nosso país.

Buenos Aires é a capital, bem como a maior e mais importante cidade da Argentina, figurando como a segunda maior área metropolitana da América do Sul, depois da Grande São Paulo.A cidade é, indiscutivelmente, o maior, mais importante e desenvolvido centro urbano, financeiro, cultural, administrativo, político, industrial e comercial da Argentina. A cidade está localizada na costa ocidental do Rio da Prata, na costa sudeste do continente sul-americano (Wikipedia).

Registramos um pouco de vários lugares, muitos registros foram durante um citytour, logo, não conseguimos fazer muitas fotos sobre a acessibilidade de um só lugar detalhadamente. Por isso, vamos mostrar vários pontos para dar ao leitor uma noção da situação da cidade.

Grande parte das calçadas parecia positiva, por se apresentarem no mesmo nível da rua (o que não precisaria de rebaixamento para atravessar) e por serem bem definidas as faixas de serviço e de passeio.

Continuar lendo

Anúncios

Banheiro adaptado do Shopping Rio Mar em Recife/PE

Após algum tempo ocupados com atividades acadêmicas e profissionais, estamos de volta com mais informações, flagras e debates para vocês.

Em visita ao Shopping Rio Mar em Recife/PE, tive a curiosidade de conferir a acessibilidade do banheiro voltado às pessoas com deficiência. O Shopping fica localizado no bairro Pina e caracteriza-se por ter uma estrutura ampla, confortável e grandiosa.

Fachada principal do shopping. Vê-se uma grande estrutura em alvenaria e vidraças. A fachada contém o nome do shopping e o símbolo da marca (elemento ondulado nas cores azul e verde). A foto mostra, ainda, parte do estacionamento e fluxo de veículos, com canteiros formado por grama e palmeiras.

O Shopping dispõe de cadeiras de rodas elétricas e mecânicas para quem precisar (Piso 1), basta assinar um termo de responsabilidade. Há também balcões de informações estrategicamente localizados para qualquer dúvida dos clientes, vagas de estacionamento para pessoas com deficiência, idosos, gestantes, e elevadores panorâmicos.

Interior do shopping. O teto é em estrutura de ferro e materiais translúcidos. Os pavimentos são nas cores branco e madeira, compostos por vitrines de lojas e algumas árvores. Continuar lendo

“UFPB para todos: eliminando barreiras”

Olá! Hoje vamos mostrar uma importante iniciativa voltada à questão da acessibilidade na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que construiu uma rota acessível dentro do campus. O projeto “UFPB PARA TODOS: ELIMINANDO BARREIRAS”, foi realizado pelo Laboratório de Acessibilidade (LACESSE) com orientação da Profª. Drª. do Departamento de Arquitetura e Coordenadora do LACESSE Angelina Costa, além da colaboração de técnica de laboratório, arquiteta voluntária, bolsistas (alunos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil e Comunicação – Radio E TV – da UFPB), alunos e funcionários com deficiência (voluntários).

Para conhecermos mais sobre esse projeto, entrevistamos Profª. Drª. Angelina Costa.

PBsembarreiras: Qual o objetivo do Projeto “UFPB PARA TODOS: ELIMINANDO BARREIRAS”? Continuar lendo

Carnaval para todos: um dia que faz a diferença

Ontem, dia 5 de fevereiro de 2013, aconteceu o desfile do Bloco Portadores da Folia. A concentração começou por volta das 15h00 e o bloco saiu às 16h30 arrastando muitos foliões animados. A Banda Acredite, formada por componentes do Centro de Atividades Especiais Helena Holanda,  animou os foliões no local de concentração, na Avenida Cabo Branco. E a banda Tuaregs agitou durante o percurso no trio elétrico, que foi até a Praia de Tambaú.

Este ano, o tema do bloco foi a “Cultura Popular na Alegria do Carnaval”. A ideia foi resgatar brincadeiras, danças e músicas dos antigos carnavais. Foram distribuídas máscaras, produzidas pelo Núcleo de Vivência e Artes da Funad, e todas as coordenações trabalharam para garantir a organização e segurança dos foliões. (Funad)

Pessoas com e sem deficiência desfilaram com animação igual. Foi muito contagiante ver a alegria nos olhos de pessoas que estão cansadas de sair de casa com tantos obstáculos e preconceitos que ainda passam, mas que encontraram neste evento motivos para sorrir, dançar e pular à toa, bem distante dos seus lares.

Cadeirantes, cegos, pessoas com deficiência intelectual, surdos… Todos entraram em um só ritmo e acabaram puxando transeuntes que começaram olhando o desfile e só pararam de pular na praia de Tambaú, junto a todos os foliões.

Todos precisam de acessibilidade para trabalhar, estudar e, é claro, para se divertir. Muitos esperam o ano inteiro por esse dia, se preparando para ser rainha ou rei do baile, fazendo suas fantasias e aprendendo a cantar o hino do Bloco. Não há como pensar que aquele foi mais um dia de carnaval, mais um desfile, mais um investimento de verba pública desnecessária (como muitos amam pigarrear), mas, sim, que aquele dia garantiu alegria para sustentar o sorriso no rosto de muitas pessoas por outros dias de suas vidas. Sorriso, este, que você não percebe que emite enquanto sobe degraus, trabalha e atravessa ruas, pois pequenos detalhes só tornam-se perceptíveis ao encontrar dificuldade para realizá-lo.

Abaixo, nossa galeria de fotos desse dia tão maravilhoso. E deixo nosso convite a todos para o próximo ano, já estamos aguardando 🙂 Continuar lendo

Para inspirar

Passeando pelo Chongas, assisti a um vídeo que pode inspirar muita gente:  “Blind Skateboarder. Be brave, be safe.”

Antes de tudo, pedimos desculpas pela falta de audiodescrição no vídeo. Já estamos providenciando, juntamente com o Blog Vídeo Audiodescrito, e assim que estiver pronta atualizaremos aqui.

Tommy Carrol nasceu com retinoblastoma bilateral, que é o principal câncer ocular infantil. Por conta disso, ele perdeu a visão aos dois anos de idade.

No entanto, a confiança de Tommy não foi abalada, ele acredita que pode andar de skate como qualquer outra pessoa… E PODE!

Acho que todo mundo deve saber, tudo acontece por uma razão, sempre há uma maneira para superar, nada te impede se você realmente quer” (Tommy Carrol).

 Júlio Fernandes

Melhorias na acessibilidade para pessoas com deficiência visual – Parte III

Este é o post que encerra nossa série sobre como melhorar a acessibilidade para pessoas com deficiência visual em hotéis, onde falaremos sobre reconhecimento dos quarto, banheiros e áreas de lazer. Os posts anteriores vocês podem ter acesso através dos links: Parte I e Parte II.

Espero que gostem e discutam conosco sobre as recomendações não contempladas em normas!

Reconhecer quarto e banheiro 

Esta etapa, normalmente, é a mais longa da hospedagem. Para melhorar, é ideal que  o funcionário do hotel receba treinamento para facilitar sua técnica em descrever o apartamento e seus equipamentos. Em alguns hotéis já encontramos diretório dos serviços em Braille, que deve ser disponibilizado quando receber um hóspede que necessite.

Além do diretório em Braille, recomendamos a sua locução no ramal telefônico do hotel, assim, as pessoas que não tem domínio do sistema Braille poderão se informar dos serviços prestados pelo estabelecimento. O sistema poderá fornecer informações sobre a disposição dos móveis no apartamento e o local onde se encontram todos os controles dos equipamentos eletrônicos, como também comentários sobre as paisagens e as programações de lazer dos arredores do hotel, sendo útil, inclusive, para hóspedes que não tenham deficiência visual.

Para reconhecer o banheiro, o funcionário percorre o lugar com o hóspede e costuma levar a mão dele aos utilitários. Muitas vezes, as pessoas com deficiência visual precisam colocar a mão nos móveis para localizá-los, o mesmo ocorre em um sanitário. Para que seja preservada a higiene, recomendamos a elaboração de um pequeno mapa tátil a ser instalado no batente da porta, à altura da cintura, local que todos os pesquisados passaram a mão. Este layout facilitaria a conceituação de um mapa mental pelo usuário, que se encaminharia com facilidade para os locais desejados. Além disso, o mapa também informaria o posicionamento das torneiras “quente” e “frio” no chuveiro.

A instalação desse tipo de mapa tátil no batente da porta de entrada do apartamento não está recomendada em normas, mas também facilitaria a identificação do layout do quarto, com a identificação da organização espacial das camas, armários e aparelhos eletrônicos. A imagem a seguir apresenta uma simulação desse recurso.

Proposta de mapa tátil para batente da porta no banheiro instalado na forra da porta. Continuar lendo

Acessibilidade na Praia do Jacaré – PB

Fim de um recesso no blog, início das férias para muita gente. Esse é o tema que nos levou ao post de hoje, vamos ver como está acessibilidade em dos pontos turísticos mais visitados da Paraíba: a Praia do Jacaré, onde acontece todos os dias um lindo pôr-do-sol ao som do Bolero de Ravel, tocado pelo Jurandy do Sax.

A praia fluvial do Jacaré localiza-se no município de Cabedelo, entre o estuário do rio Paraíba e o trecho da BR 230 que liga esta cidade à capital, João Pessoa. Ver o pôr-do-sol na Praia de Jacaré, ao som do Bolero de Ravel, é indispensável para quem vai a João Pessoa. Mas, antes de tudo, convém esclarecer que o local não se trata de uma praia, e sim do encontro do Rio Paraíba com o mar. O músico Jurandy do Sax revela em seu site que a estrutura que existe hoje surgiu aos poucos, impulsionada pela música de Maurice Ravel, e atrai pessoas de vários lugares do Brasil e do mundo. (Fonte: Praia do Jacaré)

Para iniciar o passeio, as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida contam com rebaixamentos de guias nas calçadas que levam do estacionamento local até área dos bares e feirinha.

Estacionamento com carros parados e guias rebaixadas pintadas em azul e branco, que fazem a ligação entre duas calçadas. Continuar lendo