Flagra: rampa para o degrau – I

O flagra foi registrado por Larissa Santos, no Posto Petrobrás da Av. Rui Carneiro, bairro do Manaíra em João Pessoa – PB. Data: 09/09/12

A entrada para a loja de conveniências do posto é feita por meio de uma rampa, mas logo depois existe um degrau que dá acesso à parte interna da loja. A rampa, neste caso, serviu apenas para um cadeirante circular por fora do estabelecimento.

Anúncios

Flagra: rampa no auditório do Hotel Ouro Branco

O flagra foi registrado por Fábia Halana Pita, no Hotel Ouro Branco (em João Pessoa – PB), local onde ocorria o Seminário dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do dia 30/07 a 01/08/2012.

Durante todo o evento, pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida participavam da mesa de discussão dos temas, tendo que se deslocar para o palco onde essa ficava localizada. O acesso era feito por meio de três degraus ou por uma rampa, ambos vencem a mesma altura de, aproximadamente, 60 cm.

Calculamos, despretensiosamente, a inclinação da rampa, correspondendo a 30%, quando o permitido pela norma vigente de acessibilidade (NBR 9050/04) é de até 8,33% para vencer essa altura. As pessoas tiverem dificuldades em vencer essa rampa, onde ninguém conseguiu subir sozinho utilizando cadeira de rodas.

Além disso, a rampa não possui corrimão em ambos os lados, nem piso tátil de alerta antes e depois.  Essa situação gera, além da falta de autonomia, sérios riscos para segurança das pessoas que precisam utilizar esse acesso.

Flagra: veículo de empresa em vaga exclusiva (Estação Ciência)

O flagra foi registrado por Larissa Santos, no estacionamento da Estação Cabo Branco – Ciência, cultura e artes, dia 20/03/2012.

O estacionamento da Estação Ciência conta com 198 vagas. Não sabemos ao certo quantas são reservadas, mas há uma boa quantidade, porém elas não são respeitadas. Neste caso, o veículo de uma empresa de buffet está estacionado na vaga exclusiva a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Comumente, encontramos empresas que precisam descarregar material utilizando a vaga preferencial, pois está mais próxima à entrada. Mas estas vagas não estão ali à toa, elas precisam ser bem localizadas, evitando ao máximo o fluxo dos carros, e interligar-se à rota acessível (como é o caso desta vaga, que está interligada a uma guia rebaixada na calçada). Por isso, de forma alguma, nem por minuto, elas devem ser ocupadas por quem não precisa.

Vimos que a Estação Ciência conta com seguranças e funcionários circulando, inclusive o estacionamento possui uma guarita com funcionários, os quais poderiam fazer a fiscalização e evitar este tipo de atitude por parte dos condutores desavisados.

Larissa Santos

Flagra: caixa de autoatendimento do Banco do Brasil

O flagra foi registrado por Larissa Santos, no caixa do Banco do Brasil do antigo posto de gasolina entre a Av. Beira Rio (ou José Américo de Almeida) e a Rua Paulino Pinto, dia 09/05/2012.

Quando cheguei a este caixa havia um senhor, que utilizava uma bengala “T”, saindo do local lentamente. Percebi que seu carro estava bem próximo ao caixa e logo vi o motivo: ele apoiava-se no carro e na bengala para descer os degraus que dão acesso ao caixa.

Com muita dificuldade, ele venceu os degraus na descida, imagina o esforço que deve ter feito para subir os degraus. E se fosse um cadeirante? São dois degraus “apenas”, mas pra quê? Além de não possuir corrimão ou sinalização, esses degraus me parecem desnecessários. Se a elevação para o caixa for realmente necessária, então é preciso construir uma rampa para vencer este desnível e, para isso, há espaço suficiente.

Neste flagra destacamos apenas os degraus, sem levar em consideração os outros quesitos de acessibilidade não contemplados pelo autoatendimento que, como tantos outros, possui o Símbolo Internacional de Acesso (SIA) e não é acessível.

Nas imagens vemos, uma a uma: o carro próximo ao caixa, em seguida um foco nos degraus, depois uma imagem completa do caixa (onde se vê o SIA ao lado da porta) e uma foto da área onde o caixa se localiza (onde percebemos o espaço para a rampa).

 

Continuar lendo

Flagra: vagas reservadas nas ruas de Patos – PB

Os flagras a seguir foram registrados por Júlio César Fernandes

Este flagra foi no centro da cidade de Patos-PB. Em pouco mais de três minutos, uma moto e dois carros estacionaram na vaga reservada para pessoas com deficiência. No momento que as pessoas estacionavam, eu acionava a buzina do carro que eu estava e apontava para a placa, os motoristas da moto e do primeiro carro saíram e ainda agradeceram. No entanto, o motorista da imagem abaixo continuou parado esperando um dos passageiros saírem do estabelecimento que estava. Lembrem-se, esta vaga não é sua nem por um minuto! Você não sabe o momento que uma pessoa que realmente precisa da vaga irá estacionar.

Novamente em Patos, a imagem mostra uma vaga, aparentemente, reservada. Porém, sem sinalização vertical e com sinalização horizontal incorreta. Continuar lendo

Flagra: Ocupação indevida de vaga reservada – Tambiá Shopping

Os flagras a seguir foram enviados pela seguidora Lays Coelho.
Estes dois registros foram feitos no estacionamento do Tambiá Shopping, dia 07/12/11.

“Por incrível que pareça é a mesma vaga, quando cheguei estava o táxi e quando saí, o carro da Energisa. A vaga fica próxima ao elevador e essas pessoas aproveitam pra estacionar e tinha outras do mesmo jeito” Lays Coelho.

Não podemos dizer ao certo se a vaga tem sinalização horizontal, mas, apesar da terminologia incorreta, a sinalização vertical indica que a vaga é exclusiva para pessoas com deficiência. Os dois veículos, aparentemente, não necessitam desta vaga. Um táxi pode levar uma pessoa com deficiência, porém, normalmente, eles deixam a pessoa na entrada do estabelecimento e se retiram. O carro da Energisa – empresa de geração e distribuição de energia elétrica – presta serviço público e não tem nenhum tipo de direito que permita sua permanência neste local. O ideal é que o shopping disponibilize funcionários para fazer a triagem nestas vagas.
Você encontra muitos descasos assim? Mande para nós, temos que alertar, conscientizar e mudar esta situação.

Flagra: Material em vaga reservada

Parece que vem alguma reforma na orla da praia do Cabo Branco em João Pessoa – PB. O que será? Não sabemos, mas o material já está ali esperando para ser usado. É muito comum encontrar as vagas reservadas para pessoas com deficiência sendo utilizadas para estocar materiais, parar o caminhão de descarga, colocar stands comerciais, dá aquela “paradinha rápida” para resolver algo, etc.

Especificamente na orla do Cabo Branco, temos vários relatos de pessoas que precisaram estacionar na vaga reservada e não encontraram uma livre. Então, porque não estocar esse material em vagas comuns já que as exclusivas são cada vez mais raras? (Isso se não houver outro local para estocar, porque as vagas comuns também precisam estar livres). Além disso, a vaga reservada tem ligação com a faixa de pedestre e, como vemos na foto, a faixa também está interrompida.

A foto foi tirada em 09/10/2011. Esperamos que a prefeitura já tenha dado conta disso.

Você já flagrou algum caso assim ou qualquer outro que se refira à acessibilidade? Mande para nós e vamos tentar alertar os responsáveis. Contamos com vocês!

Até o próximo 😉